A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: Kings Of Convenience
Título: Riot In An Empty Street
Ano: 2004
Editora: Mawlaw
Formato: CD
Obs: Distribuido por EMI

Depois de um álbum estreia em que sublinhavam a beleza e importância de sons calmos, sussurrados, os Kings of Convenience dispuseram-se ao motim e deram um significativo passo em frente com «Riot In An Empty Street». Por motim entenda-se a desordem provocada por quem arrisca mudar as certezas que adquiriu com o primeiro trabalho, propondo auto-desafios criativos e explorando em diversas outras direcções a sua muito folky matriz sonora. Mas é também uma figura ajustada para as constantes contradições e tensões que ocorrem no mais íntimo de cada um, reflectidas aqui num conjunto de melodias de intenso acolhimento.

A primeira certeza que convém reter na leitura destas linhas é a de que Eirik Glambek Bøe e Erlend Øye continuam a fazer música com marca própria e que «Riot In An Empty Street» é imediatamente reconhcido como sendo de sua autoria. O que é bom, porque demonstra o estatuto que já conseguiram logo após o 1º álbum. A segunda verdade prende-se com o facto indesmentível de que houve uma mudança importante no seu modo de juntar sons a palavras e que essa alteração não desvirtuou em nada a sua personalidade musical. O que também é bom!

E o que terá mudado? Principalmente a instrumentação dos seus temas. À fórmula duas vozes mais duas guitarras (acústicas) juntam-se agora várias outras peças de redefinição sonora, com o piano e cordas à cabeça, que adornam o rendilhado sonoro com roupagens mais ricas e delicadas, sem no entanto corromper as costuras da sua suave construção melódica. Continuamos a identificar o aspecto artesanal e acústico que tão bem resultou em «Quiet Is The New Loud». A bossanova é ainda fonte de inspiração, ainda que agora reforçada com elementos roubados ao jazz e a alguma música urbana de tendência dançante. O tom geral continua a ser quente e acolhedor, calmo e intimista, mas com um elemento melancólico proveniente das brancas paisagens da sua Bergen (Noruega) natal.

Não temos dúvidas de que «Riot In An Empty Street» é uma excelente companhia para os fins de tarde de Outono que agora se aproximam.

     
Temas   01. Homesick (03.13)
02. Misread (03.08)
03. Cayman Islands (03.03)
04. Stay Out of Trouble (05.04)
05. Know-How (03.58)
06. Sorry or Please (03.47)
07. Love is no Big Truth (03.48)
08. I'd Rather Dance With You (03.49)
09. Live Long (02.58)
10. Surprise Ice (04.23)
11. Gold in the Air of Summer (03.34)
12. The Build-Up (04.06)
     
Outros discos do mesmo artista / grupo   - Quiet Is The New Loud | CD | 2001
- Versus | CD | 2001
- Declaration Of Dependence | CD | 2009
   
Artistas / grupos relacionados   - Erlend Øye
- Whitest Boy Alive, the
     
www.rum.pt www.sensoria.pt