A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: Bichi
Título: Notwithstanding
Ano: 2005
Editora: Hobby Industries
Formato: CD

Não é necessário avançar muito na audição de «Notwithstanding» para que a intuição nos situe geograficamente a proveniência da música do projecto Bichi. A beleza quase desconfortante das frias paisagens musicadas, pontuadas por clicks e glitches microscópicos, aliada a uma precisão matemática no desenvolvimento dos temas deixa adivinhar Tobias Wilner no seu ambiente de trabalho, em Copenhaga, a congeminar estruturalmente este disco em que o rigor se impregna de encanto e de delícias digitais.

Em Bichi, Wilner desenvolve o seu fascínio pela electrónia pop - ensaiada enquanto membro dos Blue Foundation - encarregando-se de a turvar o bastante para descolar ligeiramente do formato canção. Mas também com a astúcia necessária para não extremar demasiado a vertente experimental, evitando que «Notwithstanding» deslize para um patamar de difícil acesso. É neste jogo entre desenvolvimento melódico e texturas rítmicas mecanizadas que se encontra uma inquietante harmonia, povoada por maquinados desejos e padrões humanizados.

Esta duplicidade homem/máquina, fascinante enquanto sonho do homem do novo milénio, tem na tecnologia digital o seu motor de arranque, mas na procura simbiótica de correntes de emoção a sua finalidade última. É por isso que Wilner vai fundo na procura de uma densidade musical ao mesmo tempo frágil e poderosa, que se alicerça dissonância e na melancolia, na complexidade rítmica e na criação de atmosferas siderais. E assim faz sentido alinhar scratches e síncopes com piano e contrabaixo, delírios digitais manipulados com sussurros vocais femininos - obrigado Sara Savery -, esquizofrenia rítmica com embalos enebriantes.

«Notwithstanding» é um composto sintético de diversos estilos musicais baseados na electrónica, mas o modo como Bichi faz questão de imiscuir clinicamente a dimensão acústica, ainda que processada digitalmente, faz deste um disco singular e inventivo, a suplicar por audições atentas e apaixonadas.

     
     
www.rum.pt www.sensoria.pt