A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: Seekonk
Título: Pinkwood
Ano: 2006
Editora: Tongue Master Records
Formato: CD

É sintomático que no seu 1º concerto, em Março de 2002, os Seekonk tenham tocado cinco temas, divididos entre três originais e duas versões, cujos autores são Neil Young e Low. Um ano mais tarde seria editado «For Barbara Lee», o seu álbum-estreia que que desenvolvia a sua paixão pelas sonoridades propostas por aqueles dois nomes e lhes acrescentava ainda um toque de veludo retirado aos momentos mais intensos da discografia dos Mazzy Star. Não obstante, esse disco era já uma afirmação de personalidade, uma vez que, apesar daquelas evocações, revelava já uma autonomia assinalável que fez dele um trabalho acima da média. «Pinkwood» surge agora como um objecto capaz de expandir os horizontes musicais do próprio grupo e de quem os quiser escutar com atenção.

Nada se perdeu com a troca de Shana Barry por Sara Ramey, no papel de condução vocal das texturas melódicas ofuscadas por neons púrpura. A voz de Sara é de uma estirpe nobre que, mesmo sem revelar uma grande amplitude, tem uma secreta capacidade de se imiscuir na instrumentação atmosférica de um modo vital, constituíndo-se como a essência destas composições. A forma progressiva como se revelam os arranjos, cujo tom dominante reside na delicadeza e capacidade sulfúrica de envolver a música num tule branco de mistério, que é calmamente desenrolado, dão a «Pinkwood» um charme e uma doçura que se assemelha à lentidão deliciosa com que um quadrado de chocolate suíço se derrete na saliva da boca, enquanto o espírito se abandona à total fruição daquele prazer açucarado.

Por isso mesmo «Pinkwood» é muito mais do que um mero prolongamento de «For Barbara Lee». Não só porque os Seekonk aqui se desprendem ainda mais da fórmulação ensaiada no primeiro esforço editorial, como também assumem com arrojo uma certa experimentação de risco calculado, em que o ritmo sofre uma ligeira aceleração e as melodias são capazes de inflecções inesperadas e muito mais dinâmicas, que resultam soberbas principalmente em «Take My Wife» e «Power Out».

Recomendável!

     
Temas   1. Love
2. Armstrong
3. Air
4. Powerout
5. Mar
6. Take My Wife
7. Orange & Blue
8. Great Compromise
     
Outros discos do mesmo artista / grupo   - For Barbara Lee | CD | 2003
     
www.rum.pt www.sensoria.pt