A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: People Press Play
Título: People Press Play
Ano: 2007
Editora: Morr Music
Formato: CD

O auto-intitulado álbum de estreia dos dinamarqueses People Press Play não poderia ter encontrado melhor enquadramento editorial do que na Morr Music, uma vez que é exactamente na casa de Thomas Morr que muito se tem buscado, e já com vários exemplos bem sucedidos, a sintonia entre a música feita com recurso à electrónica e a leveza inteligente da música pop.

Naturalmente que «People Press Play» não descende do nada. Isto é, das já muito experimentadas mentes criativas dos elementos que compõem o quarteto estamos habituados a que não saia música negligenciável. Thomas Knak actua preferencialmente com o seu projecto pessoal, os Opiate, mas vai encontrando tempo para se dedicar a produção de álbuns tão esteticamente arrumados como, por exemplo, «Vespertine» de Björk. Anders Remmer encontra abrigo, a solo, no invólucro Dub Tractor, construíndo artifícios de digitalia dignos de uma audição atenta. Jesper Skaaning usa os Acoustic para concretizar as suas ideias pessoais em abstracções acústico-electrónicas. Mas os três músicos em conjunto reforçam laços de criação musical no projecto agregador Future 3 e, mais recentemente, nos System. Sara Savery Trojaborg marca o grupo com a sua voz quente e intimista, como já o faz a solo e nos Bichi.

Deste esforço conjunto de congregar as suas experiências individuais ligadas à electrónica e experimentação num universo mais melodioso e pop nasce um disco fascinante, que recebe a influência de marcos importantes do quadrante indie e lhes adiciona um manto de alguma conceptualização, mantendo no entanto uma dinâmica melodiosa e uma diligência activa na busca de um lugar próprio para a sua música. É assim que revisitamos, de uma vez só, o ruído controlado das guitarras que evoca o potencial explosivo que os My Bloddy Valentine sempre souberam dominar, a nostalgia contemplativa da geração shoegazer que se lhes seguiu, as deambulações cosmico-psicadélicas dos Spiritualized, a frieza kraut dos Stereolab, os ambientes arquitectados por Brian Eno e, com naturalidade, os desenhos digitais texturados dos Future 3.

«People Press Play» acaba por ser uma viagem acordada pelo meio de sonhos pop deliciosos, em que o instinto nos leva a aconchegar cada canção como se fosse só nossa.

     
Temas   Girl
Always Wrong
These Days
That Walk
Hanging On
Frail
Studio
Before Me
Everything
Stop
     
   
Artistas / grupos relacionados   - Acoustic
- Dub Tractor
- System
     
www.rum.pt www.sensoria.pt