A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: Githead
Título: Art Pop
Ano: 2007
Editora: Swim
Formato: CD
Obs: Distribuído por Ananana

Constituído por 4 estrelas à medida do cenário arty que sucedeu à explosão provocada pelo punk, os Githead ameaçaram ser apenas uma pequena brincadeira montada em honra a um evento específico (o 10º aniversário da editora Swim) para, ao 2º álbum, se tornarem num caso muito sério de talento, equilíbrio, inovação, experiência e criatividade. «Art Pop» evidencia tudo isto num condensado musical atractivo e inteligente!

Vamos às partes: Colin Newman (inglês) é um músico por demais conhecido entre os cultores atentos da produção musical punk e pós punk, tendo passado boa parte da sua carreira a criar géneros para, de seguida, os questionar com a mesma diligência e sabedoria. O seu percurso com os insuspeitos Wire, primeiro, e a solo, depois, transformaram o músico britânico num elemento respeitável, cuja irreverência artística sempre parece levá-lo a encontrar novas formas de expressão; Malka Spigel (israelita), sua mulher, destacou-se nos Minimal Compact com o minimalismo do seu baixo e a sua voz sulfúrica, ajudando a desenhar um conceito de música intelectual que fez escola na Bélgica e Holanda no decorrer dos anos 80, lado a lado com os inesquecíveis Tuxedomoon e um conjunto de músicos que ali encontrou exílio artístico e mesmo político; Max Franken (holandês) foi o elemento europeu adicionado aos Minimal Compact quando se tornou evidente que aquele trio israelita necessitaria de um baterista que assegurasse o dinamismo dos espectáculos ao vivo; já Robin Rimbaud (inglês) tem-se ocupado com o seu projecto a solo, Scanner, com o qual desenvolve uma apertada relação entre som, ambiente, imagem e forma, criando música e instalações artísticas que equacionam a tecnologia e as suas interpenetrações com a esfera social envolvente.

Se «Art Pop» se limitasse a somar os talentos de cada um dos elementos do quarteto Githead seria já um disco notável, de eficácia garantida. Mas a sua busca de movimentos de impulsão criativa que se manifestem em formato musical consegue burilar os seus talentos individuais, que encontram na conjugação de esforços a combinação exclusiva que faz deste disco uma peça de joalharia desenhada com cuidado e rigor, mas também com o brilho próprio dos tesouros exclusivos.

As vozes de Newman e Spigel alternam-se ou recombinam-se em lugares novos e estranhos. As guitarras processadas são o elemento de choque e ruído, milimétricamente disposto sobre os desenhos electrónicos de Rimbaud, que sustentam com pormenores os vapores inundantes que torneiam cada canção, envolvendo-as num veludo suave, mas desconhecido. Depois há o ritmo. Franken bate nas peles com a mesma precisão demencial que provavelmente observa nos seus pacientes, quando no dia a dia troca a bateria pela bata de enfermeiro de psiquiatria.

Tudo isto combinado eleva «Art Pop» ao estatuto de manifesto artístico de alta relevância, em que a encruzilhada de diferentes expressões e géneros resultam num disco incatalogável, em que os estilhaços de punk, funk, dub, rock, industrial se lambuzam deleitadamente com linguagens cinemáticas e literárias, originando uma obra decididamente pop, maas arrojadamente arty.

     
Temas   1. On Your Own
2. Drop
3. Drive By
4. Lifeloops
5. These Days
6. Jet Ear Game
7. Space Life
8. All Set Up
9. Darkest Star
10. Rotterdam
11. Live In Your Head
     
Outros discos do mesmo artista / grupo   - Profile | CD | 2005
- Waiting For A Sign | Digital | 2014
   
Artistas / grupos relacionados   - Colin Newman
- Malka Spigel
     
www.rum.pt www.sensoria.pt