A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: Tenebrous Liar
Título: Last Stand
Ano: 2008
Editora: TV Records
Formato: CD

Quem conhece a fotografia de Steve Gullick, que tem fixado com a objectiva algumas das imagens mais expressivas e marcantes do rock underground dos últimos 20 anos, consegue perceber o sentido da sua projecção numa expressão musical sombria, mas com a chama poderosa das emoções à flor da pele. Com ...bender (emparelhando com James Johnston e Geraldine Swayne), com Tenebrous e agora com a mutação Tenebrous Liar, essa tem sido a direcção dos seus mergulhos profundos nas águas obscuras da escrita de canções, sempre rodeado por uma tensão brutal que eterniza em polaroids melancólicos uma sensação incontrolável de vazio infinito que o revolve.

Sendo este o motivo principal do instinto criativo de Gullick não é de estranhar que a sua energia sempre tenha sido muito mais direccionada para a abertura a todo o custo dessa torneira emocional - capaz de materializar uma música difícil, situada no ponto diametralmente oposto à gargalhada pueril - do que na perfeição técnica e formal das suas propostas, invariavelmente de arestas cruas e quase sempre dilacerantes.

Com «Last Stand» os Tenebrous Liar deram um claro passo de evolução, sem que se tenha verificado qualquer perda dos ingredientes essenciais. O projecto foi, neste disco, capaz de conservar o âmago da sua proposta artística, de garras apontadas ao esquartejamento emocional, ao mesmo tempo que cresceu no domínio exibido da manipulação instrumental. Isto deve-se, eventualmente, à ajuda prestada pela produção de Richard Warren (Echoboy, Spiritualized e Soulsavers) e à cristalização do projecto enquanto grupo, deixando Gullick de ser o único membro efectivo.Tony Ash, Alex Brown, James Maiden, Pete Spiby, Brendan Casey e o próprio Warren tornaram-se co-responsáveis pelo ambiente tensamente inspirado que se regista no álbum, vestindo também a pele de anjos da suprema escuridão.

Gravado numa única take, em apenas 13 horas, «Last Stand» emana em glória ameaçadora uma música densa, sombria, incompleta e melancólica, que cruza uma espécie de drone-rock de estruturas repetitivas com lamentos e uivos nocturnos, herdeiros da tradição cantada pelos profetas dark-blues, com guitarras, baixos e bateria a desenharem sinfonias pálidas de uma morbidez quase macabra e com a voz de Gullick a desaparecer por entre a rudeza da instrumentação, tornando as palavras quase irrelevantes na sua catárese, e deixando a ideia clara de que o autor não está interessado em revelar o sentido real das suas inquietações.

Os Tenebrous Liar assinam um disco de secretas confissões amarguradas, exigente do ponto de vista emocional e que está destinado a falhar todo e qualquer top de vendas do planeta. Mas certamente forte, tempestuoso, inquieto e enigmático para justificar uma viagem de olhos fechados pelas suas 11 desinstaladas canções...

     
Temas   1. Blood Moon
2. Pretender
3. One Last Time
4. Hunch
5. Doomed
6. Sour
7. All Truth You Know
8. Alight
9. One Way Love
10. Tenebrous Liar
11. Last Stand
     
Outros discos do mesmo artista / grupo   - Tenebrous Liar | CD | 2007
- Pretender EP | CD | 2008
- No Guiding Light / Think I'm Coming Down | Digital | 2009
- Jackknifed & Slaughtered | CD | 2010
- Run Run Run | CD | 2011
   
Artistas / grupos relacionados   - Ed Harcourt
- Richard Warren
- Tenebrous
     
www.rum.pt www.sensoria.pt