A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: Fennesz
Título: Black Sea
Ano: 2008
Editora: Touch
Formato: CD

Para a criação daquele que é o seu álbum estruturalmente mais abstracto, «Black Sea», Christian Fennesz inspirou-se na diáfana e plácida sinuosidade das águas profundas e escuras, nos seus percursos errantes e misteriosos, de meta incerta e de inúmeros segredos guardados.

E a texturização de bruitage electrónica e gravações de campo que infiltra em cada um dos longos fluxos de melodias em estado de evaporação é o que religa esta música quase gasosa à matéria palpável, facilitando um processo mental de desenho de imagens em tons de azul-escuro, salpicadas por pequenos pontos trazidos à memória por gritos de gaivotas digitalmente processados ou sons retirados à linha em que o mar se junta ao céu em dia cinzento.

Ao quarto álbum, Christian Fennesz já se tornou num dos músicos electrónicos com maior número de tentantes imitadores e cujo talento já o levou a ser chamado para inúmeras colaborações com gente como Ryuichi Sakamoto, David Sylvian, Peter Rehberg, Jim O’Rourke e muitos outros de menor nomeada. Mas «Black Sea» demonstra sem mácula que Fennesz continua capaz de ser ele a traçar perspectivas novas e de explorar em toda a sua magnitude trilhos musicais habitados por evocações metafóricas, demonstrando uma aptidão brilhante para fazer fluir estonteantes fisionomias melódicas a partir de quase nada de concreto. Melodias que nascem e se desenvolvem quase sem darmos por isso, mas que se impõem natural e explendorosamente no meio de pequenos e grandes ruídos, como se fosse uma frágil e bela flor a nascer num rochedo bem no meio do mar, indiferente à violência das ondas e à cobiça de quem a admira de longe.

Sendo um disco essencialmente atmosférico, «Black Sea» consegue sempre esquivar-se à monotonia, apostando num equilíbrio esteticamente doseado entre silhuetas contemplativas e projecções estratosféricas de inegável romantismo, pontuadas por cenários de intenso dramatismo e elegíacos ruídos brancos. Um trabalho essencial, bem capaz de engrossar a já numerosa legião de imitadores de Fennesz.

     
Temas   1. Black Sea
2. The Colour of Three
3. Perfume for Winter
4. Grey Scale
5. Glide
6. Glass Ceiling
7. Vacuum
8. Saffron Revolution
     
Outros discos do mesmo artista / grupo   - Hotel Paral.lel | CD | 1997
- AUN | CD | 2012
- Venice [2014] | Digital | 2014
- Mahler Remix | Digital | 2014
- Becs | Digital | 2014
   
Artistas / grupos relacionados   - Christian Fennesz & Jim O`Rourke
- Fenn O`Berg
- Fennesz Sakamoto
- Ozmotic - Fennesz
     
www.rum.pt www.sensoria.pt