A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: Symbiosis Orchestra
Título: Live Journeys
Ano: 2009
Editora: Baskaru
Formato: CD

A ideia da Symbiosis Orchestra nasceu na mente do italiano Andrea Gabriele (Pirandelo e Mou Lips!) em 2005. Fundamentalmente buscava um conjunto de artistas like-minded que aderissem a um projecto arrojado de simbiose de linguagens artísticas, com particular ênfase para a música e manipulação de imagem. Reunido um elenco respeitável e feita a fundacional rodagem em palcos criteriosamente seleccionados - mais pelo ecletismo da programação do que por qualquer outro critério - aí está «Live Journeys», um notável álbum de estreia, mas ainda assim capaz de ilustrar apenas uma das dimensões da originalidade multimediática da sua proposta.

São várias as barreiras quebradas nos diversos exercícios de estilo aqui presentes, mas há alguns elos comuns que lhe dão uma dinâmica transversal própria: um gozo imenso em cada músico expropriar a linguagem específica dos seus colegas de maquinação, deliciando-se na imersão musical e no envolvimento multimédia assim potenciado; a total abertura ao risco de improvisar em tempo-real, obrigando cada unidade a desenvolver uma percepção de conjunto muito apurada e a intuir os movimentos seguintes do corpo; o detalhe cuidado nos cruzamentos permanentes entre as sonoridades clássicas e a moderna electrónica, estabelecendo pontes trans-genéricas que colocam «Live Journeys» numa categoria sem classificação definida.

Neste contínuo acto conspirativo contra os standards artísticos consolidados, Gabriele interage com um núcleo transdisciplinar de impulsionadores da mudança, constituído por Iris Garrelfs (UK), que faz da sua voz processada o principal elemento de arrojo; Scanner (UK - companheiro de Colin Newman nos Githead), alquimista tecnológico de sons pouco convencionais; Cláudio Sinatti (It), maestro de emoções induzidas por imagens vídeo e instalações multimédia; Stefano Tedesco (It - residente em Londres), cujo vibrafone se encarrega de estabelecer ligações jazzísticas; Mário Masullo (It), cuja tendência rítmica induz na Orchestra uma respiração taquicárdica, aparentemente sem matriz; Geoff Warren (UK), um eclético saxofonista que electrifica paisagens com a sua abordagem paradoxal àquele instrumento; Diego Conti (It), cujo violino esquizofrénico balança de um modo natural entre a placidez do embalo e a hiperacção vertiginosa; e Roberto DiEgídio (It), que com o seu trompete secunda Warren na construção inoxidável de ambientes metálicos.

A tudo isto acresce o facto de «Live Journeys» ter sido inteiramente registado ao vivo, em diferentes salas e datas, para percebermos que a Symbiosis Orchestra é claramente um projecto à margem de quase tudo o que a indústria musical tem para nos oferecer, e combina talento, risco, forward-thinking, estranheza e prazer em doses massivas, mas harmoniosamente integradas. Um disco a não perder!

     
Temas   1 Live at PEAM2005, Ecoteca, Pescara
2 See How It Goes
3 Cinematic Naples
4 Live at GAM, Gallarate 1
5 Live at GAM, Gallarate 2
6 Live at FABBRICAEUROPA, Florence 1
7 Live at FABBRICAEUROPA, Florence 2
8 Jam at Joy's House, Pescara
9 Live at Post Post Studio 2
10 Live Lullabie
11 Live at GAM, Gallarate 3
     
     
www.rum.pt www.sensoria.pt