A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: Pains Of Being Pure At Heart, the
Título: The Pains of Being Pure at Heart
Ano: 2009
Editora: Fortuna Pop
Formato: CD

O epónimo disco de estreia dos The Pains Of Being Pure At Heart parece ter saído direitinho do baú de preciosidades do indie-pop do final dos anos '80, sem que, no entanto, a passagem do tempo tenha erodido a mínima fracção do (des)encantamento juvenil então celebrado, nem ofusque a quase-inocência da abordagem simples com que atacam cada uma das 10 canções com que nos brindam.

A fórmula é a mesma que já assistiu com eficácia os impulsos criativos de grupos insuspeitos como os My Bloody Valentine (na sua fase Lazy Records), The House Of Love, Moose, Jesus & Mary Chain, Pastels, Shop Assistants, e uma numerosa horda juvenil de outras manifestações musicais saídas da ressaca do punk (que colectivamente ficou para a história como C86) que não se revia, de todo, no negrume gótico, nem se sentia confortável no reinante euro-pop, apesar de dominada por uma intensa vontade de usar meloias pop como veículo de expiação das suas angústias geracionais.

Descomplexadamente, os The Pains Of Being Pure At Heart recolhem todas essas influências e nelas inoculam uma jovialidade actual, que é sua e muito própria, afogando melodias simples e refrões orelhudos em malhas intensas de ruído e feedback, mas nunca perdendo de vista o efeito imediato que desejam para a sua conjugação pueril de desencanto e vontade de, pela pop, projectar as suas existências para espaços - reais ou imaginários - de redenção colectiva, mesmo se manifestada com os olhos prostrados no chão.

E assim, canção após canção, este disco constrói uma confortável sensação de dejá vu, desmentida pela fragilidade vibrante de jogos vocais masculino/feminino, pela sedutora simplicidade de guitarras rápidas e directas, e por ocasionais teclados saltitantes que, no final, nos deixam convencidos que a acne é um traço perene do rosto e que o futuro sonhado hoje reveste-se, afinal, da mesma matéria com que foi projectado no passado. Renove-se, pois, a vontade de continuar a sonhar!

     
Temas   1. Contender
2. Come Saturday
3. Young Adult Friction
4. This Love is Fucking Right
5. The Tenure Itch
6. Stay Alive
7. Everything With You
8. A Teenager in Love
9. Hey Paul
10. Gentle Sons
     
Outros discos do mesmo artista / grupo   - Belong | Digital | 2011
- Acid Reflex | Digital | 2012
- Days Of Abandon | Digital | 2014
     
www.rum.pt www.sensoria.pt