A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: City Center
Título: City Center
Ano: 2009
Editora: Type Records
Formato: CD

O centro de uma grande cidade, como espaço amplo de confluência de diversos caminhos que apontam para um enorme chafariz que projecta água em todos os sentidos, parece ser a significativa metáfora que os City Center reclamam para a sua música decomposta em inúmeros fragmentos, articulados no sentido de busca do milagre de uma pop movimentada e borbulhante. Este sentido dinâmico de circulação de ideias e de animação multicor habita por dentro a expressividade plástica que se pode ouvir em «City Center», o primeiro disco do projecto liderado pelo Nova-iorquino Fred Thomas.

Não sendo propriamente um novato nas andanças da produção musical - pois ostenta no seu currículo colaborações importantes com Warren Defever (o mesmo dos His Name Is Alive), mas também posições fundamentais nos destinos colectivos dos Saturday Looks Good To Me e Flashpapr - Thomas assume agora por inteiro a sua condição de músico errante, com uma singela mas significativa bagagem de dorso onde se encontra um desejo de, através do risco, vaguear por largas avenidas em que néons e ruído se misturam freneticamente com o espanto da descoberta de ecos de mundos novos. Como quando alguém se atreve a viajar por sua conta e risco e se delicia com a novidade que cada grande metrópole apresenta ao virar da esquina, oferecendo caras, cores, sons, aromas e ambiências ainda não experimentadas e muito menos integradas no seu contexto individual de vida.

Desta apropriação que Fred Thomas faz de uma multiplicidade de referências exteriores, musicais ou não, nasce a urgência pop de um disco que não poupa a sua criatividade aos cruzamentos de influências, mas que delas sabe fazer uma outra coisa, empurrando os limites de uma cidade musical interior, ampliada assim na riqueza da sua expressividade reverberante e no refluxo urbano de trajectórias multiculturais confluentes, ecos de uma globalização cuidada, capaz de preservar a diferença original.

Um disco rico, diverso, intenso e muito recomendável, que partilha algumas familiaridades com o ritualismo naturista e psicadélico dos Animal Collective, mas que o inflecte num sentido menos espiritualista e decididamente mais noctívago e diletante.

     
Temas   1.Killer Whale
2.Open/House
3.Life Was A Problem
4.Gladest
5.Bleed Blood
6.Cloud Center
7.You Are A Force
8.Summer School
9.Young Diamond
10.Unfinished Hex
     
Outros discos do mesmo artista / grupo   - Redeemer | Digital | 2011
     
www.rum.pt www.sensoria.pt