A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: Fuck Buttons
Título: Tarot Sport
Ano: 2009
Editora: ATP Records
Formato: CD

«Street Horrrsing» já tinha anunciado ao que os Fuck Buttons vinham. O seu sucessor, «Tarot Sport», consegue expandir as fronteiras fluidas da música da dupla de Bristol afirmando um segundo disco que é um tratado de boas ideias.

Benjamin John Power e Andrew Hung atiram-nos camadas e camadas de espesso magma sonoro que obrigam os ouvidos a escutar aquilo que nunca tinham ousado e os sentidos a experimentar o que nem em sonhos julgavam ter existência possível. É uma música que quase se pode tocar, tão física e exigente se torna a sua escuta.

«Tarot Sport» oferece-nos uma viagem arrepiante e triunfal num cosmos distante, apresentando um dinamismo intrínseco que não deve ser procurado à flor da pele, antes sim escavado com perserverança nas sucessivas capas sonoras que enclausuram esta música impetuosa, mas que ao mesmo tempo lhe conferem um horizonte quase infinito de leituras paralelas, exemplarmente distendidas no espectro disponível pelo mago Andy Weatherall, convocado pela dupla para dar expressão exterior à complexidade das composições que lhes habitam no interior.

E neste intrincado jogo de pulsões rímicas em movimento circular e figurantes sónicos de fugaz aparição, que complementam a narrativa futurista apresentada pela parafernália de teclados afirmados como personagem principal, desenha-se a cada instante um esboço arquitectural de linhas cruzadas, traçadas a régua, compasso e esquadro, que se distribuem numa tela inacabada que aguarda pelos momentos, sempre surgidos, de confluência atmosférica mas marcialidade letal.

«Tarot Sport», mais do que ler nos astros um futuro que há-de vir, faz uma clara proposta de descodificação e antecipação dos movimentos musicais vindouros, elevando o drone à condição de maná numa travessia psicadélica de celebração tribal de uma renovada ordem musical, assente na absoluta liberdade de movimentos e na perpetuação da unidade orgânica que o conceito de álbum há muito definiu como um todo afirmativo, coeso, coerente e pleno de sentido.

     
Temas   1. Surf Solar - 10:34
2. Rough Steez - 4:44
3. The Lisbon Maru - 9:19
4. Olympians - 10:54
5. Phantom Limb - 4:49
6. Space Mountain - 8:44
7. Flight of the Feathered Serpent - 9:31
     
Outros discos do mesmo artista / grupo   - Bright Tomorrow | 7" | 2007
- Street Horrrsing | CD | 2008
- Colours Move | Digital | 2008
- Surf Solar | 7" | 2009
- Slow Focus | Digital | 2013
- The Red WingThe Whip [Single] | Digital | 2013
     
www.rum.pt www.sensoria.pt