A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: Thomas Mery
Título: Les Couleurs, Les Ombres
Ano: 2011
Editora: Own
Formato: Digital

«Les Couleus, Les Ombres» é o segundo disco a solo de Thomas Mery, depois de este ter abandonado o projecto Purr com o qual se expressou musicalmente de 1997 a 2000.

Este seu novo trabalho marca de um modo vincado uma busca de pureza, com a utilização, pela primeira vez, da sua língua materna em prejuízo do inglês e, mais importante ainda, com a depuração musical no sentido de regressar à essência folk das suas estórias ficcionadas, muito inspiradas pelos filmes de Tarkovsky ou Antonioni.

Isto quer dizer que a argumentação instrumental se simplificou ao máximo, reduzida agora que está à sua voz trovadoresca, a uma guitarra acústica, a pequenos sublinhados esporádicos de teclas de piano e à subtileza elegante do clarinete, mas também, mais raramente, expandida por um baixo eléctrico e bateria. Sem, no entanto, permitir que as diferentes configurações de conjunto ofusquem a simplicidade musical nem a complexidade lírica e poética de todo o conjunto.

Assim adornada, a música de Thomas Mery tem todo o espaço que precisa para se afirmar pela densidade emocional que sabe criar, despertando uma curiosidade intensa em quem ouve, incitado assim a partir em busca no seu interior da chave de descodificação de um universo que Mery desenhou a cor e sombra, mas que parece alimentar-se do confronto com as cores e as sombras de quem o rodeia.

Um belíssimo disco que, arriscamos, tem em si inscrita uma indelével marca de intemporalidade.

     
Temas   01 Du Sirop
02 Ou De La Pluie
03 Aux Fenêtres Immenses
04 De L'Amour, De La Colère
05 Ça
06 En Silence
     
     
www.rum.pt www.sensoria.pt