A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: Islet
Título: Celebrate This Place
Ano: 2011
Editora: Shape Records
Formato: Digital

É no meio de um turbilhão caótico de sons, gritos e estridências que os galeses (de Cardiff) Islet elaboram a harmonia quase impossível de «Celebrate This Place», um manifesto firme da no-wave do século XXI.

Esta actualização do conceito significa que, ao contrário da catárse cacofónica que, no início dos anos 1980, invadiu (principalmente) New York e que parecia apostada na derrocada da instituição canção, os Islet estão mais interessados em pegar nos escombros desse período e juntar-lhes todos os desperdícios que se foram soltando das correntes musicais dos anos seguintes, para assim dar forma a uma máquina mutante de construir sons.

Na audição de «Celebrate This Place», a espectativa que se pode ter em relação à canção seguinte é a certeza de lá virmos a encontrar qualquer coisa de surpreendente. E isso pode ser o espanto por percebermos que uivos e feedbacks podem ser, em conjunto, sonoridades compatíveis e melodiosas; ou que teclados analógicos em devaneio psicadélico servem na perfeição para criar o balanço necessário a batidas tribais descontroladas; ou ainda que as guitarras empunhadas em atitude provocatória e incendiária produzem o mesmo efeito mágico que agulhas espetadas numa qualquer voodoo-doll.

A música dos Islet ganha neste disco uma consistência física que transmite a certeza de um grupo entregue sem limites à sua arte e expiação públicas, criando ambientes sincopados de um apelo primitivo e telúrico, que parece funcionar para o momento actual da criação musical independente como a força de gravidade para nos manter com os pés no chão.

E cada novo acorde, decalcado do anterior ou a ditar uma viragem de direcção absolutamente surpreendente, deixa sempre a sensação estranha, mas reconfortante, que os Islet estão, a cada momento, na condução milimétrica do processo e que aquela aparente desordem tem sempre por trás um plano executado na perfeição.

Um grupo para disfrutar desde já, mas também para seguir nos próximos tempos com a maior das atenções.

     
Temas   We Shall Visit
Iris
One Of These Worlds
Jasmine
Holly
Rowan
     
Outros discos do mesmo artista / grupo   - Illuminated People | Digital | 2012
     
www.rum.pt www.sensoria.pt