A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: Dome
Título: 1-4+5
Ano: 2011
Editora: Mego
Formato: Digital

Reencontrar em 2012 a música dos Dome, mais de trinta anos após a sua erupção, é um exercício que nos obriga a perceber ali, agora que a sabedoria do tempo permite a devida distância, a síntese perfeita de um tempo de revoluções musicais, em cujo regaço se afagavam as mazelas do período punk - em que a autopunição parecia afirmar-se como única saída possível para a ausência de futuro - e se geravam reacções viscerais, ditas industriais, a uma sociedade encarcerada em si mesma e a viver as primeiras fracturas provocadas pela queda pública das primeiras máscaras da falácia do capitalismo.

Bruce Gilbert e Graham Lewis já tinham dado a perceber, com as suas actividades nos incontornáveis Wire (entretanto a viver a primeira das duas licenças sem vencimento de longa-duração da sua carreira) que o punk poderia ser muito mais do que um grito de expiação dos próprios infortúnios de uma classe baixa em agonia. A inteligência e uma espécie de literacia que souberam introduzir numa música que vivia de três acordes e muita energia destilada já os tinha destacado de entre os demais, ao mesmo tempo que inoculavam nos seus discos uma vontade de ampliar, por via da experimentação, o leque de opções à disposição dos descontentes.

Mas foi com a suspensão das acções subversivas dos Wire que ficou aberto o espaço para a entrada em cena dos Dome, veículo que Gilbert e Lewis utilizaram para verter uma amargura contida sob pressão e que encontrou no estúdio o altar sagrado para a celebração de estados de alma tortuosos, em que a ira encontrou na reverberação e na agitação artística (numa mistura entre poesia negra e a rigidez arquitectónica quase marcial da bauhaus) o canal de condução a novas margens de expressividade sonora, cuja estética pareceu ignorada então mas que se foi intrometendo quase despercebidamente nas fundações do edifício rock dos anos que se lhe seguiram. Se não directamente, pelo menos de uma forma enviezada, por via dos músicos com maior visibilidade que assimilaram todo o desassossego assim proposto. A começar pela segunda vida dos próprios Wire.

O que encontramos em «1-4+5» é a reunião numa luxuosa caixa de todos os registos sonoros dos Dome. Desde os três álbuns gravados e editados de rajada em pouco mais de um ano («Dome», em Julho de 1980; «Dome 2», em Outubro de 1980; «Dome 3», em Outubro de 1980), passando pelo menos impulsivo «Will You Speak This Word: Dome IV» (Maio de 1983) e terminando no inédito «YCLEPT: Dome V» que vê agora pela primeira vez a sua edição, reunindo temas compostos pela dupla em 1989 e 1999 destinados a acompanhar a performance «Because We Must», do coreógrafo e bailarino Michael Clark.

Em conjunto, mesmo se aqui e ali seja possível decifrar com naturalidade a datação de algumas opções de produção, esta é uma edição na qual vive um impulso criativo notável, que se expressa numa vontade intemporal de tornar a experimentação num veículo de fixação e transmissão de emoções íntimas e fortes, levando os sons a um estado de arte única e irrepetível. E isso transcende, em muito, a condição de mero documento histórico...

     
Temas   DOME1:
1. Cancel Your Order (Lewis/Gilbert)
2. Cruel When Complete (A.M.C./Gilbert)
3. And Then… (Lewis/Gilbert)
4. Here We Go (Lewis/Gilbert)
5. Rolling Upon My Day (Lewis/Gilbert)
6. Say Again (Lewis/Gilbert)
7. Linasixup (Lewis)
8. Airmail (Lewis/Gilbert)
9. Ampnoise (Lewis/Gilbert)
10. Madmen (Lewis/Gilbert)


DOME2:
1. The Red Tent I
2. The Red Tent II
3. Long Lost Life
4. Breathsteps
5. Reading Prof. B
6. Ritual View
7. Twist Up
8. Keep it


DOME3:
1. JASZ (Gilbert/Lewis)
2. AR-GU (Gilbert/Lewis)
3. AN-AN-AN-D-D-D (Gilbert/Lewis/A.M.C.)
4. BA-DR (Gilbert/Lewis)
5. D-D-BO (Gilbert/Lewis)
6. NA-DRM (Gilbert/Lewis/A.M.C.)
7. UR-UR (Gilbert/Lewis)
8. DANSE (Gilbert/Lewis)
9. DASZ (Gilbert/Lewis)
10. ROOS-AN (Gilbert/Lewis)


DOME4 - WILL YOU SPEAK THIS WORD:
1. To Speak (Gilbert/Lewis/Drinkwater)
2. To Walk, To Run (Gilbert/Lewis)
3. To Duck, To Dive (Gilbert/Lewis)
4. This (Gilbert/Lewis)
5. Seven Year (Gilbert/Lewis)
6. Atlas (Gilbert/Lewis)


DOME5 - YCLEPT:
1. Virtual Sweden (V.S. #1)
2. Plosive Pluck
3. Because We Must (Version 1)
4. Carpo
5. Vertical Seeding (V.S. #2)
6. Crossh
7. Making A Meeting (Excerpt)
8. Gebar
9. Virtuous Speed (V.S. #3)
10. Liver & Lungs
11. Because We Must (Version 2)
     
   
Artistas / grupos relacionados   - Wire
     
www.rum.pt www.sensoria.pt