A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: John Talabot
Título: fIN
Ano: 2012
Editora: Permanent Vacation
Formato: Digital

Oriol Riverola é um DJ e produtor catalão (de Barcelona) que usa a designação D.A.R.Y.L. para criar música trance/techno e que se esconde atrás do nome John Talabot quando amplia a longitude transversal das suas composições. E é como John  Talabot que acaba de editar o inventivo «fIN», um disco pleno de cruzamentos sonoros que emergem numa massa sonora estimulante e refrescante.

Olhado no seu conjunto, «fIN» resulta de uma sensibilidade apurada para cruzar com eficácia e sentido de oportunidade rítmica a pulsão física intensa e alienante do techno, a efusividade festiva do disco e a atitude aventureira e não-alinhada do indie-pop. Tudo num composto altamente colorido e cativante que apresenta a atractividade extra de conseguir um fio condutor comum ao longo dos seus 11 temas, mas sem nunca se aproximar da repetição interna de ideias, variando a abordagem a cada nova canção.

No coração da construção proposta por Talabot encontram-se os ritmos em desaceleração irónica, instigando à dança mas sem nunca se exceder no número de batidas por minuto, de modo a deixar espaço para que a melodia seja, também ela, um dos protagonistas. E a esse nível, os recursos aqui exibidos são notáveis e servidos por um talento especial para criar linhas de teclados que tanto têm de optimismo como de sedução, cruzando linhas de tropicalidade solarenga e bizarra com ocasos sombrios de fim de tarde em contra-luz. Para além de tudo, consegue ainda descortinar os convidados certos para juntar as vozes adequadas a cada um dos momentos, contando assim com as ajudas de Pional e Ekhi nos momentos que exigem que as cordas vocais sejam, também elas, um instrumento vital nesta música com clara marca de produtor.

Com «fIN», John Talabot consegue ocupar com naturalidade e talento um espaço que ainda estava vago na produção musical moderna, juntando uma nostalgia do passado que não se traduz em saudosismo nem estética retro e que ao mesmo tempo se enquadra numa ética do-it-yourself tão própria do nosso tempo. E, com isso, unir passado e presente num disco claramente virado para o futuro.

     
Temas   01 Depak Ine
02 Destiny feat Pional
03 El Oeste
04 Oro Y Sangre
05 Journeys feat Ekhi
06 Missing You
07 Last Land
08 Estiu
09 When The Past Was Present
10 H.O.R.S.E.
11 So Will Be Now … feat Pional
     
     
www.rum.pt www.sensoria.pt