A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: Danielle de Picciotto
Título: Tacoma
Ano: 2015
Editora: Moabit
Formato: Digital

Não é a primeira incursão musical da artista plástica Danielle de Picciotto, dada a sua aventura ao lado do marido Alexander Hacke, também enquanto parte integrante dos Ministry Of Wolves e dos Crime and the City Solution, e ainda como colaboradora próxima de Gudrun Gut, Die Haut ou Myra Davis. Mas «Tacoma» representa a sua emancipação musical, na medida em nunca antes o seu nome tinha surgido isolado na capa de um disco e, mais relevante, nunca tinha assumido por inteiro toda a composição, escrita e interpretação de uma obra discográfica.

Situada musicalmente na convergência estética de um mundo onde a fantasia e a psicose se juntam à decadência e ao aventureirismo de tonalidades cinza, Danielle parte do ideário associado à memória inexistente do seu local de nascimento, a cidade norte-americana de Tacoma, para se esquivar furtivamente pelos becos escondidos nos seus cenários interiores, edificados com os fragmentos que lhe foram ficando dos diversos locais onde viveu até estabilizar, com o pai militar, na desaparecida cidade de Berlim Ocidental. E é este o cenário principal do traço de floresta urbana que cobre a sua composição de luzes noctívagas e fumo, elementos que muito desfocam a delicadeza da sua voz, mesmo quando adopta o registo spoken-word, e que não se dispersam pela utilização de instrumentos pouco usuais, como hurdy gurdy e auto-harpa. Sons que se adensam ainda com as tonalidades graves de violinos, ruídos de interferências electromagnéticas, percussões tribais e outros recursos rítmicos e tímbricos que conferem a este disco uma aura de encantamento, mas também uma sensação de ausência e de um estado alterado de consciência.

A música de Danielle de Picciotto em «Tacoma» é feita de impressões difusas, que entram em câmara de ressonância e sobrepõem emoção em cima de emoção, numa ampla densidade expressiva que simultaneamente esconde espaços imaginados e revela recantos quase secretos da interioridade humana. E que por isso se insinua sem se impor, seduz sem se exibir e se torna um vício sem contra-indicações.

     
   
Artistas / grupos relacionados   - Alexander Hacke + Danielle de Picciotto
- Crime & The City Solution
- Danielle de Picciotto + Sonae
- hackedepicciotto
- Lary 7 + Danielle de Picciotto + Alexander Hacke
- Ministry Of Wolves
     
www.rum.pt www.sensoria.pt