A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: Courtney Barnett
Título: Sometimes I Sit And Think, And Sometimes I Just Sit
Ano: 2015
Editora: Mom and Pop
Formato: Digital

Com o seu álbum de estreia, a australiana Courtney Barnett ajuda-nos a depositar total esperança na vitalidade do rock'n'roll e na genuina capacidade de fazer música esvaziada de qualquer tique de vedetismo . Autêntica e espontânea, portanto.

«Sometimes I Sit and Think, and Sometimes I Just Sit» parece ser a tradução para o século XXI do mote da geração grunge, que apaticamente suplicava por entretenimento. Mas, em contraste, usa a mordacidade do humor como alimento fundamental de uma certa crueza de processos, que encontra os seus elementos nucleares na energia da guitarra semi-descuidada e na quase indiferença de uma voz que boa parte do tempo não se preocupa em cantar. A ironia como antídoto para a apatia.

Este disco é o reflexo do dia-a-dia de alguém que não se leva a sério, mas que quer usar a normalidade para fazer uma música que deixa que o feedback controlado produza ondas de choque, que são depois recolhidas por uma certa psicadelia distorcida e as remete para um ambiente de garage-rock. Música que embala histórias mundanas relatadas de forma simples e desarmante, ganhando assim recortes de uma indiferença essencial para quem atravessa o tempo entre a esperança e a angústia. E tudo isto num puhado de canções despretensiosas mas estimulantes, cirurgicamente apontadas ao exacto recanto estético e deixando marcas indeléveis na memória musical dos anos vindouros.

Quanto a Barnett, o melhor será não a perdermos de vista...

     
     
www.rum.pt www.sensoria.pt