A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: Rimbaud
Título: Rimbaud
Ano: 2015
Editora: Gusstaff
Formato: CD

Rimbaud não é um colectivo vulgar. Por um lado porque procura criar o equivalente sónico da poesia íntima e obsessiva de Arthur Rimbaud; por outro porque junta uma cosmologia improvável de músicos polacos com backgrounds significativamente diferentes, mas em busca de pontos de contacto entre as suas linguagens.

Daí que o encontro sónico entre Tomasz Budzynski (um dos vultos mais consagrados do punk-rock da Polónia, com uma carreira construída sem concessões artísticas), Mikolaj Trzaska (cuja actividade de saxofonista e clarinetista tem aberto caminhos no free-jazz e na música improvisada, tendo acompanhado nomes cruciais como Ken Vandermark e Peter Brötzmann) e o incontornável Michal Jacaszek (compositor e produtor que se tornou imprescindível para a escrita da história da música electro-acústica, electrónica, avant-garde e neo-clássica do século XXI) se tenha transformado num objecto musical multiforme, banhado por uma visceralidade intensa que recontextualiza a linha da frente da descoberta de novas configurações da composição musical.

Aqui reconhecem-se traços naturais da música electrónica, do free-jazz e do punk-rock, mas «Rimbaud» vai muito mais longe do que simplesmente adicionar essas três peças ao seu puzzle de influências. A expressividade obtida da repetição, da busca do não-convencional, da surpresa constante e do ensaio de novas combinações ritmico-melódicas, acaba por resultar num denso magma de excitantes mantras, debroados a fragmentos de urbanidade industrial, que ampliam os espaços envolventes até a uma infinitude desconhecida e os preenchem com uma obtusa sensação de intimidade, como se ali estivesse virado do avesso cada palmo das nossas entranhas, simultaneamente estranhas e familiares.

«Rimbaud» é um estímulo aos sentidos e um disco portentoso, que importa não deixar escapar sem uma audição atenta e, sobretudo, empenhada. Só assim será possível mergulhar na penumbra misteriosa que o habita do princípio ao fim e que o torna magnanimemente especial.

     
   
Artistas / grupos relacionados   - Jacaszek
     
www.rum.pt www.sensoria.pt