A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: Maja Osojnik
Título: Let Them Grow
Ano: 2016
Editora: Unrecords
Formato: Digital

Depois de diversos álbuns (e anos) escondida atrás de nomes colectivos que exibiam o resultado das suas colaborações com outros músicos, o mais recente dos quais com broken.heart.collective, a eslovena Maja Osojnik decidiu que, mais do que nunca, a sua solidão e inseguranças se encontram no estado ideal para serem a matéria-prima de um disco a solo. E assim nasceu «Let Them Grow».

O conjunto de canções que aqui encontramos dão conta desse estado quase esquizofrénico de quem se encontra na casa dos quarenta, e portanto, à luz da sociedade, cresceu, mas que se encontra mais do que nunca impreparada para compreender o que a rodeia. Até porque o cinzento à sua volta, também ele cresceu em direcções que nunca previra e a assombram ao limite do compreensível.

Neste contexto, é a voz grave de Maja Osojnik que assume o papel de guia por entre escombros sonoros feitos de fragmentos sónicos rejeitados de outras gravações, por conterem erros digitais ou por estarem erradamente sobremodulados ou com atrasos de fase, mas agora reabilitados num entorno de angústia que os recebe de braços abertos, transformados que estão no brilho opaco de um disco intenso, mas claramente de contra-luz. Sons rejeitados que cresceram para assumirem o papel-principal de um disco que fala da rejeição e da perplexidade. Gravações de campo que encontram o seu esplendor fora do local onde as esperaríamos ouvir. Pianos quebrados que se projectam em contraciclo com as dores contorcidas que se sentem a cada verso. Motores, feedbacks, batidas, bolas de ténis de mesa e um infindável conjunto de sons que seriam naturais  erros de casting, mas que aqui sublinham ao impensável o desconforto relacional da sua autora, construindo combinações que assumem o horrivel e, com ele, conseguem fazer, não o belo, mas uma honesta forma de arte em que o ruído e a agressão não servem como arma de arremesso, mas como grito desesperado de quem não está do lado do socialmente aceitável. Mais do que uma construção musical, «Let them Grow» é um manifesto, no qual todos nós, em maior ou menor grau, acabamos por nos reconhecer!

     
   
Artistas / grupos relacionados   - Broken.Heart.Collector
     
www.rum.pt www.sensoria.pt