A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: Arcade Fire, the
Título: Funeral
Ano: 2004
Editora: Merge
Formato: CD

Não é nada fácil explicar as razões do apelo da música dos Arcade Fire. Formalmente nada apresentam de novo mas a verdade é que «Funeral», o seu álbum de estreia, revela uma maturidade e consistência fora de comum para uma banda de newcomers. O que faz dele um disco verdadeiramente arrebatador, de paixões e ilusões, catapultando emoções para a flor da pele.

Para este septeto de Montreal, no Canadá, a presença na capa da prestigiada «Time» foi um feito muito mais espantoso do que alguma vez esperariam conseguir quando, em 2003, decidiram juntar-se para compor. Mas «Funeral» merece não só essa distinção como também toda a atenção que lhe tem sido dedicada. É uma complexa rede de energia e jovialidade feita música pop! Uma elegia cénica consolidada em simples melodias e burilados arranjos, que lhe conferem uma auréola de alegria e encantamento. É também um disco de descargas: energéticas e emocionais. Um canto de expiação de todo o ambiente de depressão que rodeou a sua gravação, envolto em três mortes de familiares, mas também revitalizado pelo casamento de dois dos seus membros. Daí ter-se chamado «Funeral». Não porque o negro governe a sua criatividade, bem pelo contrário. Antes sim porque se revela uma tentativa de reverter a má sorte, enterrando de vez o infortúnio. E esse é o mote que conduz toda a acção, em múltiplos movimentos quase teatrais.

O tom celebratório de todo o disco constrói-se com base numa instrumentação minuciosamente escolhida, mas onde os sons de piano, das guitarras e de um contorcido violino parecem querer ocupar a linha da frente. E há também aquelas vozes: uma masculina e uma feminina. São vozes pueris, mas cativantes, que tanto soam encantadas como à beira do desespero. Que ajudam a esticar a corda emocional nos dois sentidos opostos apontados pelos sucessivos (e sugestivos) ataques melódicos.

E é assim que, mesmo partindo de um mote depressivo, os Arcade Fire conseguem criar um disco de extrema positividade, irradiada pela visão idealista de quem acabou de chegar à idade adulta e que, apesar de se encontrar na caverna, continua a acreditar que lhe está destinado um enorme raio de luz.

     
Temas   1. Neighborhood #1 (Tunnels)
2. Neighborhood #2 (Laika)
3. Une Annee Sans Lumiere
4. Neighborhood #3 (Power Out)
5. Neighborhood #4 (7 Kettles)
6. Crown Of Love
7. Wake Up
8. Haiti
9. Rebellion (Lies)
10. The Backseat
     
Outros discos do mesmo artista / grupo   - Neon Bible | CD | 2007
- The Suburbs | CD | 2010
- The Suburbs / Month Of May | Digital | 2010
- Reflektor | Digital | 2013
- Her OST | Digital | 2014
- Get Right / Crucified Again [single] | Digital | 2015
- The Reflektor Tapes | Digital | 2015
- I Give You Power | Digital | 2017
   
Artistas / grupos relacionados   - Owen Pallett
     
www.rum.pt www.sensoria.pt