A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | 0-9
Disco    
   

Grupo: Wedding Present
Título: Take Fountain
Ano: 2005
Editora: Scopitones
Formato: CD

Passaram já 8 anos desde que os Wedding Present editaram «Saturnalia». Pelo caminho David Gedge dedicou-se a decorar com deliciosos sonhos pop a carreira dos Cinerama, que haviam começado por ser apenas um processo de materialização de delicadezas amorosas, longe dos feedbacks dos Wedding Present, mas que acabaram por ser uma ocupação a tempo inteiro. Com «Take Fountain» assistimos ao regresso de uma das bandas mais marcantes da pop britânica dos últimos 20 anos. E se, este ressurgimento, por si só, é já uma boa notícia para os admiradores, entre os quais nos contamos, o que é realmente excelente é constatarmos que, com elevada probabilidade, este será o conjunto de canções mais brilhante e coeso da longa carreira de Gedge!

É certo que, nos últimos dois álbuns dos Cinerama, possivelmente fruto da produção de Steve Albini, a candura pop da sua encantadora panóplia sonora se havia fundido com uma raiva intestinal contida, juntando agrura a um imaginário outrora habitado apenas por melodias angelicais de deliciosa confecção. Esse percurso, rumo a uma maior dureza, tem a sua consequência lógica neste retomar das actividades dos Wedding Present. Estará mesmo na linha de bissectriz entre os extremos estéticos dos dois projectos dirigidos por Gedge, que aqui faz da canção pop o veículo de dissimulação de uma angústia latente, notada na utilização aprimorada de malhas sonoras de elevada densidade decibélica e emotiva, e na amargura incontida das suas palavras - libertadas com dor e incandescência mas simultaneamente com traços de abandono ao inevitável destino trucidante, marcado pela recente experiência pessoal de separação da companheira de longos anos.

Uma história de amor quebrado? Sim, sem dúvida! Mas nos antípodas da pieguice, encarando a canção como um veículo profundo de auto-análise e de revisão de vida, opondo-se ao lamento pueril e adolescente. Uma visão pessoal do género humano, naquilo que tem de mais íntimo, e da vida dos ambientes urbanos e das suas consequências directas na capacidade de percepção dos processos internos de (re?)construção pessoal.

A sua mudança de vida recente, que o levou a trocar a sua Leeds de sempre pela distante Seattle, encontrou âncoras sólidas na parceria criativa com Simon Cleave, também ele seu compagnion de route nos Cinerama, e na cumplicidade técnica do produtor Steve Fisk, com o qual já havia trabalhado nos tempos de «Watusi», 10 anos antes. Foram essas as sementes que lançaram as bases para todo o trabalho que desponta agora, magnífico, em «Take Fountain».

É impossível não pararmos quando se desprendem os acordes de «Interstate 5» e nos transportam numa viagem luminosa, coast-to-coast. A atmosfera fica certamente diferente quando embalada por «Pacific Blue». «Mars Sparkles Down On Me» envolve-nos o espírito em seda fina e transparente, preparando o corpo para o calor da noite. A marcada, e marcante, linha de baixo de «It's For You» impulsiona movimentos musculares, enquanto os feedbacks capturam e saturam a mente. «Larry's» é uma ode poética ao abandono e à sedução, olhada do lado de lá de uma janela polvilhada de pingos de chuva. «Queen Anne» beija-nos com a sua secção de cordas e sopros, insinuosa de movimentos hipnotizantes, enquanto nos asfixia com a atroz perversão do ruído. Em «Don't Touch That Dial», a recuperação do último single dos Cinerama, dá-se uma redefenição amarga de contornos, numa óptica difusa acerca da má comunicação e do engano...

São todos temas que incitam à audição compulsiva, ganhando imediato lugar de destaque no álbum imaginário de recolecção dos melhores momentos sonoros de uma carreira que, já longe do mediatismo conhecido nos anos de euforia, adquire uma consistência cada vez mais sólida e uma inevitabilidade de referência enquanto expoente de uma certa forma de abraçar, na sombra, o formato pop.

     
Temas   1. On Ramp
2. Interstate 5 [Extended Version]
3. Always The Quiet One
4. I’m From Further North Than You
5. Mars Sparkles Down On Me
6. Ringway To Seatac
7. Don’t Touch That Dial [Pacific Northwest Version]
8. It’s For You
9. Larry’s
10. Queen Anne
11. Perfect Blue
     
Outros discos do mesmo artista / grupo   - George Best | CD | 1987
- Tommy | CD | 1988
- Bizarro | CD | 1989
- Seamonsters | CD | 1991
- Hit Parade 1 | CD | 1992
- Hit Parade 2 | 2CD | 1992
- Watusi | CD | 1994
- Mini | CD | 1995
- Saturnalia | CD | 1996
- Interstate 5 | CDS | 2004
- I'm from Further North Than You | CDS | 2005
- El Rey | CD | 2008
- 4 Songs EP | Digital | 2012
- Valentina | Digital | 2012
   
Artistas / grupos relacionados   - Cinerama
     
www.rum.pt www.sensoria.pt